Um grupo de cientistas da Universidade de Ciência e Tecnologia de Huazhong, na China, produziram um rim em miniatura através de uma impressora 3D.

Para produzí-las foi preciso cultivar amostras de células de rim humano em grande volume, e depois misturá-las com hidrogel e água. Cerca de 90% das células permaneceram vivas, e sobreviveram por até quatro meses em laboratório, graças à fonte rica em nutrientes deste gel.

O melhor de tudo é que além de contar com células vivas, o mini rim é capaz de trabalhar exatamente da mesma maneira que um rim saudável, metabolizar, secretar fluídos e eliminar toxinas.

É lógico que esse objetivo ainda está distante de ser concluído, mas já se tem resultados positivos e com algumas alterações necessárias, poderá ser bastante útil para a medicina num futuro próximo.