O Facebook conquistou o mundo com sua realidade virtual. Nas empresas ele é utilizado praticamente de forma ilegal, mesmo com o monitoramento dos funcionários a aba da rede social está sempre escondida no canto da tela.

Em 2015 Mark Zuckerberg anunciou a entrada do Facebook no mercado corporativo com um novo produto: Facebook at Work. É exatamente o que você está pensando, uma versão profissional da rede social que estará disponível apenas para funcionários de empresas.

A plataforma funciona no estilo Gmail, Slack (chat para empresas) e Asana (acompanhamento de tarefas) permitindo que os empregados e equipes interajam dentro da plataforma. Uma das empresas que irá utilizar a plataforma é a Telenor, uma empresa norueguesa de telecomunicações com 36.000 funcionários espalhados pelo mundo.

Como funciona o Facebook at Work?

Dividido em quatro categorias principais o Facebook at Work irá funcionar da seguinte maneira: perfis, feed de notícias, grupos e mensagens. O perfil conta com uma foto e informações relevantes do funcionário como função e departamento. Os Grupos abertos são como e-mails que podem disseminar notícias ou atualizações sobre a empresa. Os Grupos fechados podem ser usados para organização de projetos específicos. E nos grupos secretos só é possível acessar com convite. As categoria “mensagens” é continua parecida com o atual aplicativo do messenger.

O feed de notícias pode ser ajustado de acordo com as preferências do usuário, mas vai contar em geral com atualizações de grupos. E as novas reações do Facebook vão estar presentes na versão para trabalho. O diferencial também está nos relacionamentos, não é necessário esperar a aprovação de pedido de amizade, os usuários poderão seguir os colegas. Esta versão não conta com anúncios, a meta agora é aumentar a base de usuários em vez de rentabilizar o serviço. A forma rentável pode estar no modelo “freemium”, que permite às empresas a pagarem por recursos avançados.

A nova plataforma do Facebook nasceu de forma orgânica, proveio de programas internos já utilizados pelos funcionários da empresa, por isso ele não foi desenvolvido para competir com outras plataformas de softwares corporativos. A Slack, uma empresa do ramo, fez uma nota na revista New York, explicando que seu produto provém de um software corporativo feito de forma pessoal, enquanto o Facebook migrou do pessoal para o profissional. O lançamento do Facebook at Work está previsto para ainda este ano e a sua maior vantagem é que os funcionários das empresas já possuem conhecimento e habilidades necessárias para utilizá-lo.

Confira o vídeo:

Facebook at Work: A Connected Workplace is a More Productive Workplace from Facebook on Vimeo.

Fonte: Gizmodo

Foto: AP