Com acesso ilimitado através de nossos computadores, talvez seja difícil se dar conta de que aquilo que você faz virtualmente demanda estruturas colossais de tijolo e cimento mundo afora, com muito trabalho braçal.

Para lidar diariamente com 20 bilhões de páginas web, 3 bilhões de buscas, oferecer gratuitamente 425 milhões de contas de Gmail e armazenar milhões de vídeos no Youtube, o Google conta com uma infraestrutura multimilionária de edifícios e equipamentos espalhados pelos Estados Unidos, Bélgica, Finlândia e, em breve, Chile, Hong Kong e Cingapura.

Em um Street View especial, a empresa abriu as portas de seu ultra-secreto data center em Lenoir, na Carolina do Norte, permitindo um passeio pelo enorme parque tecnológico que organiza e opera quase 50 mil servidores e cabos de fibra-óptica. Tudo com um controle milimétrico de eficiência e consumo de energia para manter as máquinas funcionando como engrenagens de um relógio suíço.

Estima-se que data centers consomem 1.5% da eletricidade do planeta, e por isso são tema de controvérsia, principalmente pela necessidade de controle de temperatura desses locais. Na imagem acima, essas tubulações coloridas levam água para resfriar os equipamentos.

Portanto, além de 600 milhões de dólares – que é o custo estimado de um data center Google – você também ajuda a gastar energia com ventiladores do tamanho de turbinas de avião só para poder assistir “Gangnam Style” sem levantar da cadeira.

Fonte: Brainstorm9