O Google divulgou em seu blog oficial, mais 65 atualizações no seu algoritmo de busca que foram implementadas nos meses de Agosto e Setembro. Essas poderão ser reflexões sobre o futuro da busca na internet e do próprio SEO.

De um modo geral, o Google focou nas teclas de Autoridade, Resultados Locais e Previsão do Comportamento do Usuário. Isto é, o buscador já sabe quem somos, conhece nossos hábitos de Internet, possui muitas referências sobre nossos gostos pessoais, e agora está pronto para focar na personalização da experiência de navegação de seus usuários em sua página.

O que importa

A relevância do conteúdo e a popularidade de um autor somadas a um site otimizado e com bom PageRank formam um conjunto perfeito para que esse site seja ranqueado nas primeiras posições.

Nesse modelo, as fontes ganham mais importância, e em um futuro próximo dificilmente encontraremos aqueles sites de qualidade e procedência duvidosas posicionados em primeiro lugar porque possuem as palavras-chave na URL, um texto repleto de keyword stuffing e conteúdo de pouca qualidade.

Localização

Em breve, a localização será priorizada no Brasil. Se você fizer uma busca por “pizzaria Florianópolis” não correrá o risco de surgir uma pizzaria de São Paulo. Aos poucos, já conseguimos perceber tal mudança.

SEO personalizado

Gerar conteúdo! Essa é a principal forma de ser visto. Focar no marketing digital, escrever com frequência conteúdos originais, dar atenção ao Google Plus e vincular a produção na Internet.

Quanto mais personalizados forem os resultados do Google, mais personalizado deverá ser o SEO. Ou seja, focar cada vez mais em nichos de mercado e talvez formular estratégias diferentes para cada grupo de palavras-chave (assim como os grupos de anúncios do Google AdWords).

Há um mundo novo se abrindo para o SEO. É uma questão de fazer testes.