Num futuro quem sabe próximo, evoluções tecnológicas talvez mudarão nossas vidas. De acordo com o pesquisador Michell Zappa, estão previstas mudanças como:

– O número de dispositivos móveis devem aumentar. Essa mudança está sendo chamada de “hyperscreening” (algo como “hipertelas”).

– A tecnologia fará parte da indumentária do perfil desses usuários que viverão nessa época. Exemplo disso são os relógios inteligentes e os óculos Google Glass.

– Chamada por Zappa de “tecnologias calmas”, que nada mais é do que aquilo que age sem a interferência do usuário. A integração pensa por ele. Um bom exemplo, é o Google Now um assistente pessoal inteligente, disponível para o sistema operacional Android. Serve para responder perguntas, fazer recomendações, e agir, delegando pedidos a um conjunto de serviços na web. O software fornece informações passivamente, que prevê o que determinado usuário vai precisar, com base em seus hábitos de navegação. Por exemplo, em determinado compromisso, ele pode de dar informações de trânsito e mapas para avisar quando é hora de sair de casa.

– O conceito de impressora 3D, poderá, no futuro, ser estendido a uma máquina capaz de produzir dispositivos inteligentes, em vez de apenas peças inertes. Isso possibilitará que em vez de enviar um produto ao outro lado do mundo, será possível enviar apenas o projeto digital. A fabricação será feita lá.

– Os robôs que organizam armazéns terão seu nicho aumentado podendo ser estendido por todo o planeta.

– O ensino tradicional perde aos poucos espaço para a educação P2P, em que novas ferramentas e métodos permitem que qualquer pessoa ensine a outras o que sabe. O aluno também é professor. Vídeos, cursos online e fóruns terão foco especial.