O Facebook tornou-se uma das plataformas consideradas mais importantes para encontrar notícias, compartilhar e discutir ideias. Algumas pesquisas realizadas ao longo do seu aparecimento apontam que o Facebook é considerado um meio de comunicação como um jornal diário. O que gera uma enorme discussão sobre o que você deve acreditar ou não.

O ano está mal começando e o Facebook já anunciou que o relacionamento com a imprensa vai estreitar. O projeto “Facebook para Jornalismo” foi apresentado pela empresa na quarta-feira 11 de janeiro, sendo definida como um meio de “assegurar que um ecossistema saudável de notícias” seja gerado na rede social. Pode parecer pouco mas esse é um passo muito importante para o jornalismo que perdeu uma parcela de sua credibilidade depois da chegada das redes sociais. É muito fácil encontrarmos notícias falsas vagando e sendo compartilhadas, e muitas vezes esses links usam os mesmos nomes de grandes jornais, boatos e mentiras rolam soltas pelo Facebook, e a grande quantidade de opinião influência na assimilação das notícias.

Essa nova ideia não deve fazer mal algum aos jornalistas e meios de comunicação, pelo contrário, o objetivo é que ambos sejam beneficiados. O Facebook pretende levar para dentro de seu sistema jornalistas e profissionais de mídia para agregar aprendizado aos seus funcionários. No lançamento a equipe do Facebook relata. “Nós vamos colaborar com empresas de notícias para desenvolver produtos, aprender com jornalistas quais são as melhores formas para criar parcerias e vamos conversar com publishers e educadores para entender como podemos ajudar as pessoas a se tornarem leitores informados na era digital.”

O projeto será desenvolvido em três núcleos principais. O primeiro visa a “colaboração no desenvolvimento de novos produtos” que envolvem o departamento de produto e engenharia do Facebook, onde desenvolverão inovações aos veículos de comunicação. Este setor estará dividido em cinco nichos:

  • Novos formatos para contar histórias: Os veículos de comunicação receberão apoio da rede social para gerar conteúdos em formatos que já existem, e assim um estudo sobre novos formatos será desenvolvido em parceria.
  • Notícias locais: Essa é uma das ideias embrionários do Facebook, mas que está aberta a receber sugestões. Aqui a rede social pretende promover a mídia independente que atua de forma regional.
  • Modelos de negócio: A monetização ainda estará presente no Facebook, no formato de anúncios em transmissões pelo Live e em vídeos gravados.
  • Hackatons: Reuniões serão desenvolvidas para mapear quais as melhores opções para serem desenvolvidas em cada empresa de comunicação. Os engenheiros do Facebook estarão disponíveis para os publishers, ajudando no comando das sessões criativas.
  • Ouvinte: O Facebook anunciou que vai ser o ouvinte dos produtores de conteúdo, ou seja, uma maior interação será gerada entre Facebook e jornalistas.

O segundo passo é o “treinamento e ferramentas para jornalistas” que propõe oferecer cursos e ferramentas para os profissionais da imprensa. Os treinamentos serão expandidos para nove idiomas, e um currículo certificado será gerado aos jornalistas nos próximos meses.

E já prevendo o futuro o Facebook sabe que assim que os jornalistas entrarem em ação as pessoas que frequentam a rede social terão acesso a novos conhecimentos, assim surge a terceira divisão “treinamento e ferramentas para todos”. Um dos esforços será o combate aos boatos e o discernimento de notícias, duas coisas muito comuns na rede social hoje em dia.

Fonte: portal.comunique-se.com.br